A base da estratégia alimentar baixa em carboidratos: Low Carb

A Low carb é uma das estratégias alimentares que vem ganhando destaque há algum tempo, não somente por ser uma ótima opção para emagrecimento, como por seus inúmeros benefícios para a saúde se aplicada da maneira correta.

Tanto no consultório, quando nas minhas redes sociais com frequência aparece alguém que está tentando a estratégia (sem orientação de um nutricionista) falando que não aguenta mais comer ovo com salada, ou ainda que está sofrendo constipação, ou que está enjoado de tanta carne e gordura… e é aqui que vamos esclarecer como funciona essa estratégia para quem faz sem orientação de um profissional ter uma direção correta.

Não há necessidade de complicar, no geral é simples, e tem as seguintes recomendações

1) Cortar açúcar;

2) Eliminar grãos (especialmente trigo e soja);

3) Evitar raízes (“tubérculos”, em especial batatas) se você precisa perder muito peso (caso contrário, não);

4) Optar por comida de verdade;

5) Não consumir gorduras artificiais (margarinas) e evitar as refinadas (óleos extraídos de sementes);

6) Perder o medo da gordura natural dos alimentos;

Pessoal, no fundo é só isso!! Precisa de um doce? Opte por uma fruta.

Se está difícil perder peso? Reduza um pouco as frutas e/ou batatas, ou mandioca… tente, cada um responde de uma forma diferente. Cada um precisa testar em si mesmo o que funciona, e aquilo que lhe torna possível seguir com o estilo de vida de forma continuada.

Então coisas como abobrinha, pimentão, pepino, brócolis, couve-flor, berinjela, aspargos, tomates, cenoura, cebola, alho e tantos outros são os “vegetais de baixo amido” que podem ser consumidos com liberdade na Low carb, sem esquecer dos vegetais folhosos que ajudam a promover saciedade e deixam seu prato bonito, são eles alface, rúcula, chicória, couve, espinafre dentre outros que normalmente temos na nossa mesa e nos vastos buffet de restaurantes.

Muitas pessoas infelizmente ainda divulgam informações errôneas, principalmente compartilhando dicas e informações através do facebook e instagram onde ouviu que a low carb é a “dieta da proteína” (seja lá o que for isso), pois “ouviram falar” que essa emagrece, e a partir disso sua dieta se resume a carne, ovos, queijo e bacon.

Os principais erros são:

1- Uma dieta LOW carb não deve ser NO carb. Na estratégia original restringe-se açúcar, farináceos e o excesso de amido, sem se preocupar com algumas gramas de carboidratos em vegetais;

2- A cetose, isto é, produzir entre 0,5 e 5mmol/L de corpos cetônicos, compostos produzidos pela “queima” aumentada de gordura, é completamente desnecessária para que se perca peso em uma low carb. Não é prejudicial, mas a cetose não é um objetivo em si, e não deve ser obtida às custas de limitar o consumo de vegetais.

Em uma Low carb bem planejada, a quantidade de vegetais, em volume de comida, deve ser MAIOR que a quantidade de produtos animais, sendo extremamente importante para a flora intestinal e para o equilíbrio nutricional da dieta. Nos estudos, existe uma única unanimidade em nutrição que eu conheço: vegetais de baixo amido e vegetais folhosos estão GLOBALMENTE associados a bons desfechos de saúde em 100%! Resumindo… vegetais de baixo amido e vegetais folhosos podem ser consumidos a vontade em uma estratégia low carb bem planejada. Mas é importante ficar claro, uma dieta composta prioritariamente por ovos ou carnes entra no formato da low carb, porém ao dar preferência somente a estes alimentos (proteínas) podemos ter consequências do tipo constipação, enjoo, bem como alterações acentuadas de colesterol… sendo obviamente insustentável a longo prazo…. enfim, comer somente ovos e carnes pode até ser low carb, mas low carb não se resume a ovos e carnes! Por isso os vegetais de baixo amido são tão importantes para ter esse equilíbrio na totalidade do protocolo low carb.

Dra. Gisely S. Balbinot
NUTRICIONISTA
CRN 8 6927

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *