Tríade da mulher atleta

A “tríade da mulher atleta” é uma síndrome que acomete principalmente mulheres jovens.

É caracterizada por distúrbios alimentares ocasionando baixa disponibilidade de energia, amenorréia (ausência de menstruação) hipotalâmica funcional e osteoporose.

Isso ocorre geralmente em decorrência da baixa ingestão de alimentos que muitas mulheres atletas apresentam por se preocuparem excessivamente com fins estéticos e/ou com melhor desempenho.

A ingestão insuficiente intencional ou não, pode alterar a atividade do eixo hipotálamo-hipófise, podendo afetar a produção de hormônios envolvidos na função menstrual e também no metabolismo ósseo.

A incidência dos três componentes juntos (distúrbios alimentares, amenorreia e osteoporose) é de 16%, porém as estimativas de um ou dois componentes do distúrbio é de 50% a 60% entre certos grupos de atletas.

Estudos identificam que há maior incidência em atletas adolescentes que praticam exercício de resistência como a corrida. Isto é alarmante, pois as adolescentes necessitam de uma alimentação adequada com aporte energético suficiente para favorecer a função hormonal normal e para otimizar a mineralização óssea que é tão importante neste período crítico de desenvolvimento.

As consequências adicionais da tríade podem ser disfunção endotelial que contribui para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, fraturas por estresse e lesões musculares.

Muitas mulheres acreditam que a presença de amenorreia é normal em atletas, mas não compreendem o quanto isto pode afetar a saúde dos ossos e por isso não procuram ajuda médica agravando assim, ainda mais o quadro. Portanto, mulheres atletas de todas as idades devem ser avaliadas anualmente a fim de se detectar e tratar os componentes da tríade.

Clair Azzolini Filho
MÉDICO DO ESPORTE
CRM PR 24149 / RQE 18809

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *