Quem é a pessoa mais importante na sua vida?

Provavelmente os meses de Outubro (Rosa) e Novembro (Azul) são aqueles que mais nos remetem ao cuidado. Meses que trazem, em campanhas de conscientização, a importância da prevenção em saúde e consequentemente, do auto-cuidado.

Cuidar-se é uma rotina tão obvia, mas parece mais como um elogio. Normalmente somos alvos de admiração quando nos cuidamos, quando nos propomos (e cumprimos) a ir à academia as 6:00 da manhã ou após um longo dia de trabalho. Damos parabéns às nossas crianças quando elas pedem por frutas e hortaliças. Passamos, a muito tempo, a considerar o “Cuidar de Si” como um momento especial e que ocorre se “der tempo”.

Agora pergunto a vocês, quem é a pessoa mais importante da sua vida?

Com certeza, as mães irão dizer que são seus filhos, os filhos que são seus pais, alguém dirá que um avô, uma madrinha. Mas digo-lhes: a pessoa mais importante da sua vida deve ser VOCÊ.

Precisamos entender que o autocuidado não é um luxo, mas uma necessidade. Estamos desabituados a olhar para nós mesmos, passamos a terceirizar nosso autocuidado. Passamos a frequentar mais o cabelereiro, o massagista, passamos a consumir mais itens de “conforto”. Afinal nós merecemos!

E isso é um grande equívoco. Autocuidado nunca foi e nunca será sobre consumo. Autocuidado é sinônimo de autoconhecimento. Não é possível cuidar do que a gente não conhece. Nós sabemos o que nos falta, quais nossas necessidades, qual cuidado que precisamos.

Hábitos saudáveis, exercícios, noites de sono restaurador, proteção contra pessoas tóxicas são ótimas formas de nos cuidarmos, porém o autocuidado é bem mais do que isso.

Precisamos exercitar a habilidade olhar para nós mesmos com amor e generosidade, sem culpas, vergonha ou desprezo. Precisamos nos sentir merecedores de cuidados, próprios ou de terceiros. Quantas vezes cuidamos dos outros e esquecemos de nós?

Na verdade, cuidar de si parece algo que não pertence a este mundo. Ao nos cuidarmos, vamos na contramão de uma sociedade que quer tudo para ontem. Mesmo correndo, estamos atrasados. Parar para o cuidado se torna um ato fútil e indolente, até mesmo preguiçoso.

Sempre brinco que acordamos tão rapidamente pela manhã, que nossa alma só nos alcança quando estamos fazendo xixi ou escovando os dentes e talvez esse seja o único momento que nos olhamos no espelho ou nos sentamos pelo resto do dia.

E o Outubro Rosa e o Novembro Azul é sobre isso. Sobre autocuidado, cuidado, perdão, ausência de culpa. É sobre ser importante. É sobre VOCE SER IMPORTANTE. CUIDE-SE. PORQUE VOCÊ MERECE!!!!!

Cinthya R. Alba Rech
ENFERMEIRA PALIATIVISTA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *