Fascite Plantar e como o LPF pode ajudar

A fascite plantar é uma afecção da fáscia plantar do pé, sendo frequente o envolvimento junto à tuberosidade medial do calcâneo, causando quadro de dor assim que se inicia o suporte de peso.

Os fatores de risco para a fascite plantar mais citados na literatura são:

  • Diminuição da amplitude de movimento de dorsiflexão do tornozelo;
  • Alto índice de massa corpórea;
  • Sobrecarga na fáscia plantar associada à fraqueza muscular intrínseca do pé;
  • Alterações anatômicas e biomecânicas do arco plantar;
  • Discrepância de membros;
  • Uso de calçados inadequados;
  • Alterações do posicionamento estático e dinâmico do pé.

O tratamento tem como objetivos a diminuição do processo inflamatório, a supressão da dor, a restauração da função mecânica da fáscia plantar, assim como a melhora da marcha.

Sendo assim, existem várias técnicas e recursos fisioterapêuticos que agem em prol desses objetivos, e o LPF é uma das técnicas que tem sido utilizado por profissionais da saúde e do movimento com o propósito de prevenir a fascite plantar e também como ferramenta de tratamento.

Em muitos casos inclusive, a causa da fascite plantar NÃO está associada a alguma alteração no pé diretamente. Ou seja, existem casos que a causa pode ser uma hiperativação da FTL (fáscia torácico-lombar) . Não basta portanto liberar apenas a fáscia plantar. Temos que mobilizar o Sistema Fascial em sua totalidade, para assim termos resultados mais eficazes e duradouros. O Low Pressure Fitness é um treinamento neuromiofascial global, que combina movimentos fluidos em ação excêntrica com respirações rítmicas. Foi desenvolvido com base na neurofisiologia da Fáscia, com o intuito de manter a integridade da rede Fascial ou restaurar sua funcionalidade quando a mesma foi afetada, sendo portanto uma ótima maneira de prevenir ou tratar a raiz do problema.

Danieli Boza
FISIOTERAPEUTA

https://www.instagram.com/lasanteslo/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.